Zenilda Ribeiro
Escrever é um ato libertador e uma forma de me reinventar.
Textos
Vivências

Eu vi a flor
Eu vim ser flor
Eu vi a semente
Sendo lançada ao chão
Eu vi o homem plantando
Eu também plantei
Meus meus pés
E as sementes
Naquele chão molhado
Sentindo o cheiro da terra
Eu vi a plantação crescer
Eu cresci vendo a plantação
Eu aprendi a plantar
Aprendi a esperar
A semente brotar
Crescer, florescer e frutificar
Eu cresci e saí
Do meu casulo
Criei asas e voei
Me perdi, me achei
Me perdi, me reencontrei
Me apaixonei, desapaixonei
Amei, desamei e sigo amando
Chorei, desaguei,
Irriguei com as lágrimas
Meu ser interior
Preparei meu terreno
E fui semeando
Novas sementes
Novos sonhos
Floresci, murchei
Perdi pétalas
Chorei
Irriguei-me
Renasço a cada dia
Com cada milagre
Com cada vivência
Com verões e invernos
Com outonos e primaveras.
Zenilda Ribeiro
Enviado por Zenilda Ribeiro em 24/10/2020
Alterado em 24/10/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários
Site do Escritor criado por Recanto das Letras