Zenilda Ribeiro
Escrever é um ato libertador e uma forma de me reinventar.
Textos
Acalmando a tempestade

Se há tempestade
Se ondas ameaçam
E balançam o barco
Só um silêncio interior
Tão profundo e forte
Pode te fazer levitar
Ou até que adormeças
ou faças adormecer
Os ruídos que amedrontam
E sem desesperar
Sem destemperar
Subir à proa e ordenar
"Silêncio! Cala-te"!
Mas só pode ordenar
E pedir silêncio
Quem é capaz de ouvi-lo
De cultivá-lo e praticá-lo
Foi o que me ensinou
O grande Mestre do amor.
Zenilda Ribeiro
Enviado por Zenilda Ribeiro em 30/01/2021
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários
Site do Escritor criado por Recanto das Letras